domingo, 10 de junho de 2012

O Homem Que Ri - 1928 - Reupado




Herdeiro de um ducado, Gwynplaine (Conrad Veidt) é sequestrado quando garoto e, por ordem do rei, desfigurado. Deixando-o com o rosto esculpido num perpétuo sorriso macabro. Vira tração de circo e torna-se um famoso palhaço. Esse, é o início  da saga do heroi de aparência, mas, de uma humanidade comovente. O diretor e cenógrafo Paul Leni tinha um talento para cenários macabros, e a ambiciosa mistura de morbidez e melodrama histórico, funcionou muito bem para compôr este belíssimo e triste filme. Aqui, ele conseguiu construir uma das pontes mais sólidas - ao lado de Aurora, de Murnau - entre o Expressionismo Alemão e o Realismo norte-americano, integrando as plasticidade da cenografia estilizada ao dinamismo das cenas de ação.

Duração: 110 minutos
Ano: 1928
Diretor: Paul Leni

Torrent - Download

7 comentários:

Hasley disse...

parece ser muito interessante: mas o link está off, infelizmente

Gotizka disse...

Online.

Sarah Wero disse...

Você já divulgava os links pra download antes? Tá ótimo o blog! Um acervo muito bom!

Seria muito legal ler sua opinião sobre alguns dos filmes nas postagens também. ;)

Gotizka disse...

Olá Sarah. Não, não divulgava nem divulgo antes da postagem estar completa. Como o megaupload deixou de existir, precisei migrar para o torrent, que nem sempre ajuda a quem está baixando os filmes, por falta de peers (usuários) semeando.

Prefiro colocar a opinião dos críticos a respeito dos filmes, melhor que a minha impressão ;).

Sarah Wero disse...

O megaupload quebrou todo mundo junto. Eu já cansei de upar filme em torrent e deixar o pc
ligado semanas pra compartilhar. Relíquias que até eu acabei perdendo de novo depois. =p

A opinião dos críticos melhor que sua impressão? Sei não. Poste alguma uma hora dessas.

Gotizka disse...

Eu sempre deixo o torrent aberto semeando. E sim, também já perdi alguns importantes filmes, mas, no meu caso foi um pouco diferente, pois, havia baixado e não tomei o cuidado de gravá-lo.

Quantos aos críticos, dois que merecem ser lidos: Pauline Kael e Roger Ebert.

Hasley disse...

você tem um acervo simplesmente invejável no blog. Meus parabéns!! divulgue, meu amigo...